domingo, 30 de agosto de 2009

CINISMO POLÍTICO


Cheguei a afirmar aqui, em outros textos, que “mais vale virtude sem poder do que poder sem virtude”(Cf. COMTE-SPONVILLE, André. Valor e Verdade. São Paulo: WMF, Martins Fontes, 2008, pág. 44), uma vez que dificilmente abriremos mão da separação entre política e moral. Costumamos vestir a roupa da moral quando o assunto não diz respeito à política em nossas rodas de conversas. Do contrário, preferimos deixá-la no cabide, trancafiada em nossos guarda-roupas. Essa é uma triste e infeliz verdade! Tanto é que Diógenes, o cínico, certa vez afirmou: “Se a política e moral são disjuntas, é em benefício da moral: a virtude é tudo, o poder não é nada”(op. cit. pág. 45).
Com essa ideia, Diógenes chamou categoricamente a expressão “mais vale virtude sem poder do que poder sem virtude” de cinismo político. A meu ver, tal expressão tira a máscara da mentira de boa parte dos políticos de nossa região, haja vista uma imensa lista de promessas descabidas, mirabolantes, descontextualizadas que beiram ao ridículo, brincando ingenuamente com nossas inteligências. Só um aviso: “o povo é inteligente”. E outra: “o povo já está separando mentiras e verdades”. Digo isso porque o ano novo que se aproxima, 2010, será ano de eleições em todo o Brasil, uma verdadeira corrida eleitoral se espera para Presidente da República, Senador da República, Deputado Federal, Deputado Estadual e Governador de Estados, onde o eleitor estará sendo procurado com toda gana possível de propostas e boas intenções.
Como fiel defensor da memória histórica, mas também política, faço questão de lembrar algumas boas intenções – risos, risos, risos, é cômico como tudo o que é sem autenticidade e recheado de cinismos, de falsidades – de um certo Prefeito, recém eleito que se achava um bom “salvador da pátria”, mas firmou-se como um mau “pagador de promessas” quando prometeu cinicamente: 1. Equilíbrio nas contas públicas. Calendário de pagamento para os servidores. Calendário de pagamento para os fornecedores. Aumento de arrecadação; 2. Consecução de telefonia móvel para o município. Criação da área de Indústria e Comércio(incentivo a atração de empresas); 3. Valorização e independência dos professores. Revisão do plano de cargos e salários. Meta de todos professores com especialização em 4 anos. Merenda de qualidade. Transporte escolar para os alunos da zona rural. Colocar em funcionamento a escola da Rainha do Prado; 4. Ampliação do PSF. Convênio sólido com a APAMI. Realização de exames de média complexidade. Programas de saúde preventiva. Dentista de plantão nos fins de semana; 5. Perfuração de 60 poços tubulares. Melhoramento genético na pecuária. Pactuação do Seguro Safra. Ampliação do Programa Compra Direta. Aquisição de patrulha mecanizada; 6. Criação de curso preparatório para concursos. Incubadora de Empresas. Realização do Empretec no Município. Realização de cursos profissionalizantes. Parcerias com Sesi, Senai, Sebrae, etc, para realização de eventos e atividades ligadas ao Emprego. Criação de 250 vagas de Bolsa-Trabalho(vale). Colocar em funcionamento a Casa do mel; 7. Diagnóstico econômico e social do Município. Ampliação do bolsa-família. Projeto Caminhar(idosos). Projeto Renascer. Implantação da Casa das Famílias; 8. Concluir e equipar o Parque da Cidade. Construção de centro de treinamento e de campo de futebol. Capacitação de técnicos em Educação Física. Lei de Incentivo ao Esporte; 9. Exploração do eco-turismo. Exploração do turismo religioso. Criação do Calendário de eventos. Realização de feiras de negócios; 10. Valorização da Banda de Música. Reedição do livro Florânia. Lei de incentivo à Cultura; 11. Construção de 400 casas populares. Reforma de mais 400 casas; 12. Restauração das estradas rurais do município. Construção de mata-burros na zona rural. Ligação asfáltica ou de calçamento para a Serra do Cajueiro; 13. Ampliação da cozinha comunitária com distribuição de frutas(banana, laranja, etc). Ampliação de Programa do Leite; 14. Criação do Esporte Jovem. Realização de festas populares. Criação da Bolsa-Universitária.
É muita pretensão pra quem diz abertamente que está no meio do povo atendendo a população mais carente. O plano de ação, como vimos, é gigantesco, mas sua aplicação é... Esse político, Prefeito de uma pequena, porém nobre e bela cidade do interior do RN, em pouco mais de oito meses, passou de “salvador da cidade” a um “mau pagador de promessas”.
É fácil perceber, no perfil do político que nada ou quase nada cumpre, um cinismo generalizado, como que um vírus, como que uma pandemia, onde “o valor não é verdadeiro, a verdade não é um valor”(ibidem, p. 46). É aqui que tal político mais se parece com o que diz Maquiavel sobre política ao tirar e ao colocar a sua vestimenta moral como bem quiser, opondo assim política e moral no seu discurso e na sua prática de homem público.
A política caiu num círculo vicioso, digo em todos os níveis do país, de cinismo, de mentiras e de profecias baratas, sem nenhuma criatividade, sequer sem nenhum apoio logístico para tanto, é o que aponta Comte-Sponville em Valor e Verdade: “Não é a verdade que se busca, na política; é a vitória... Que se procure profetizar um pouco menos e querer um pouco mais(ao contrário dos Profetas, justamente)... Pensa-se que o combate contra o horror não cessará e que sempre os homens se oporão aos homens... É uma política interminável que é o contrário do messianismo. Isso não impede de querer o progresso e agir em conseqüência”(ibidem, p. 198-199).
Portanto, um grande homem na política se faz de preocupações com o bem-estar do povo e com o agir bem, de tal modo que o máximo de suas ações se orientem para o bom cumprimento das necessidades da cidade. No mais, que o povo sinta essa preocupação nele, essa procura constante e inseparável dele, visando sempre ao melhor para sua gente.
Jackislandy Meira de M. Silva, Professor e Filósofo.
Não deixem de conferir suas páginas na internet:
www.umasreflexoes.blogspot.com
www.chegadootempo.blogspot.com
www.twitter.com/filoflorania
www.floraniajacksil.ning.com

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Freud e a Religião...


Segundo Freud, a Religião se equivale à própria estrutura psíquica do inconsciente, ao complexo de Édipo e complexo de culpa, pois tudo isso estaria ligado ao nosso sentimento religioso do “totem” e do “tabu”. O “totem” são todos os complexos de crenças e ideias que irão influenciar os estímulos da pessoa e de sua estrutura psíquica. O “tabu” é todo tipo de conceitos em torno do “totem” que a pessoa deve seguir sem quebrar seu segmento lógico e, talvez, histórico. O “tabu” guarda uma certa aproximação e afetividade para com determinado objeto, certo zelo, certo carinho que é capaz de motivar em nós um aspecto de comportamento externo atribuído ao rito. Para Freud, o recalque de um fato passado, talvez por ter matado o pai e desejado a mãe, transparece a dor comovedora bem lá no íntimo da estrutura psíquica que irá caracterizar a necessidade religiosa em seu pensamento.
A crítica a essa concepção de Freud vem a calhar no dizer de Mircea Eliade, a partir da obra “O Sagrado e Profano”, onde apresenta indiretamente uma posição contrária a de Freud, afirmando que o mesmo leva a pessoa a ser analisada apenas pelo lado sentimental e psíquico sem evidenciar os aspectos do mundo e da realidade existencial particular, pois não está relacionada somente à libido, mas a outros princípios básicos. Eliade procura libertar o homem do estado de aprisionamento da libido. O homem não só libido. O homem não é só desejo. O homem não é determinado só pelo prazer. Os nossos recalques não estão somente restritos a uma carência afetivo-psicológica. De fato, esta é uma realidade que não podemos desconsiderar, como diria Freud, tampouco podemos permitir que seja a única saída de respostas para todos os problemas, os males, as dores que envolvem a pessoa humana. Nesse ponto, é Deus quem, de fato, estabelece com a pessoa um diálogo de cura e de libertação de todos os problemas humanos. Digo “tudo” ou “todos” problemas que serão sarados porque é uma verdade posta pela Bíblia no Evangelho de João quando Jesus diz, de modo contundente: “Tudo que pedirdes ao Pai em meu nome eu realizarei”. É tudo mesmo! É confiando nessa promessa que o homem cristão se joga completamente nos braços de Cristo, crendo que será atendido para, enfim, resolver todos os seus complexos, todos os seus medos, todas as suas faltas e carências.
Deve ter sido por isso que Blaise Pascal tenha meditado a seguinte formulação em seus “PENSAMENTOS”: “Jesus Cristo é o objeto de tudo e o centro para onde tudo converge. Quem o conhece, conhece a razão de todas as coisas”(Col. Os pensadores, p. 178). A partir disso, é convicção de Pascal e também nossa, ter em Jesus a explicação e a solução de todas as misérias humanas.
Daí, é oportuno concluirmos essa discussão a partir dos “pensamentos” do filósofo Pascal, que além de tudo, era um autêntico cristão, ou pelo menos os seus pensamentos transparecem isso. Para ele, “a religião cristã ensina aos homens duas verdades a um só tempo: que há um Deus que os homens são capazes de alcançar e que há uma corrupção na natureza que os faz indignos. Importa igualmente aos homens conhecer ambos os pontos; e é igualmente perigoso aos homens conhecer Deus sem conhecer o redentor que pode curá-la. Um só desses conhecimentos causa ou o orgulho dos filósofos que conheceram Deus e não a própria miséria, ou o desespero dos ateus, que conhecem a própria miséria sem redentor”(Col. Os pensadores. p. 178).
Jackislandy Meira de M. Silva.
www.umasreflexoes.blogspot.com e
www.chegadootempo.blogspot.com.
www.twitter.com/filoflorania







quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A libertação do pecado


Nós falamos da condição humana não para insistir somente no aspecto da fragilidade humana: corpo; psique; espiritual. No entanto, tocamos na comoção humana para vencermos, como Cristo, o mal, a morte, o pecado.
A ternura de Deus e a vitória sobre o mal.
A fragilidade humana: sinal de Deus que reconstrói a vida.
A vida de Cristo é uma oferta de graça. É ela que determina uma novidade na vida da pessoa. Principalmente, quando nos acontece uma experiência de graça.
Existe uma contradição: entre o ser; e o dever ser. A filosofia contemporânea elabora uma dialética sobre esses dois problemas.
Deixamos pra lá as contradições e nos apegamos às coisas. O niilismo, a negação do valor das coisas. A Reconciliação com Deus é a superação da divisão nas estruturas conflitivas que se encontram principalmente no coração do homem. Os exemplos são evangélicos: Mateus e Zaqueu. Um dia vocês serão salvos. Os primeiros que são tocados por Cristo são amados: “Vinde e vede”. Rm 7.14-25 – DIVIDIDOS. A divisão não é de origem dialética hegeliana e marxista, mas de origem ontológica, a partir dos conflitos internos do ser humano, sublinhado pelo apóstolo Paulo. Superar a divisão e vencer quando não se vê alguém dividido ou quando não se está dividido parece tarefa fácil. Agora, superar a divisão dentro da realidade e encontrar uma unidade pra ela é já uma tarefa honrosa. Pois se vence pela presença da Pessoa de Cristo, pelo encontro com a pessoa de Cristo. Cristo supera a dialética entre judeus e gregos; entre a lei e a Filosofia através da reconciliação com a Pessoa de Cristo.
A partir de Cl 1.20 em paralelo com Ef 2.12-18, é apresentada a comunhão com Deus de tipo pessoal de cósmica.
Em 2Cor 5.17-20, a pessoa que vive a unidade em si é uma pessoa nova. Tudo isso vem de Deus. O resgate do homem com seu redentor e salvador é obra de Deus através de Cristo, de uma pessoa, e não de uma dialética.
Tudo aquilo que é divisão é superado. O encontro dos apóstolos com o Senhor. Que experiência! Porque se toca a carne, a humanidade é bendita, santa de Cristo que agora está à direita do Pai. O resgate do fiel por Cristo é dado por uma pessoa, e não por um discurso. A volta do ser humano quebrantado para Deus é via Cristo pessoal. Portanto, é Deus quem reconcilia por Cristo.
É o olhar de Cristo que toca um coração dividido, contrito, quebrantado. É o reconhecimento da pessoa de Cristo que supera toda e qualquer divisão. Um fato marcante disso, é a famosa cena do filho pródigo no Evangelho que chora de dor ao lembrar do Pai. Isso não o move ainda. A dor ainda não é suficiente para fazê-lo sair do lugar. Mas na casa de meu Pai há tanta comida! O que move o caminho é a presença amorosa do Pai. É uma sinergia entre Deus e o homem, entre o movente e o movido, entre a Graça e a contrição, entre Cristo e o quebrantado que liberta integralmente o ser humano de todo pecado.
Toda essa experiência de libertação, de reconduzir o cristão perdido pelo pecado até Deus, é marcada pelo nosso SIM ao apelo salvador de Cristo em aceitá-lo verdadeiramente. É, em última instância, o SIM do crente a Cristo que o faz uma nova criatura, onde o abandono passa a dar lugar a uma presença real e atuante de Cristo. Nosso SIM pronunciado a Ele já foi dado mais de uma vez, “Pedro, Tu me amas?” Sim, nós o amamos.




segunda-feira, 24 de agosto de 2009

NOTA DE AGRADECIMENTO


A Comunidade floraniense agradece à pessoa do Dr. Alysson Michel de Azevedo Dantas, representante da Promotoria de Justiça da Comarca de Florânia/RN, pelos relevantes serviços prestados a esta população, uma vez que esteve conosco desde abril deste ano. Nesse período, investigou as denúncias que chegaram em suas mãos, com muito zelo e afinco, a fim de proporcionar aos cidadãos maior transparência e responsabilidade para com a administração pública.
Por tudo isso, em não hesitando e em não cedendo às pressões político-partidárias de nosso município, sendo imparcial, queremos tornar pública essa iniciativa de levar ao seu conhecimento e ao conhecimento de todos, a certeza de que a justiça, sob os seus cuidados estará em boas mãos. Estamos certos de que a comunidade para a qual se destinará, Jardim de Piranhas, fará bom usufruto de seus trabalhos competentes. Que a competência e a fidelidade legal o acompanhem por toda a sua vida profissional.


Pela Comissão de Servidores Públicos Municipais de Florânia,
Ao Exmo. Sr. Promotor de Justiça Dr. Alysson Michel de Azevedo Dantas.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Da alegria...

O melhor é seguir o exemplo de Epicuro...
DA ALEGRIA E DA TRISTEZA
Então uma mulher disse-lhe: Fala-nos da alegria e da tristeza.
E ele respondeu:
A vossa alegria não é outra se não a vossa tristeza sem máscara.
(...)
Quanto mais profunda for a tristeza que despedaça o vosso ser, tanto maior é a alegria que podeis conter.
(...)
Alguns de entre vós dizem: a alegria é maior que a tristeza, e outros dizem: a tristeza é maior.
Mas eu vos digo que elas são inseparáveis.
Juntas elas surgem e, quando uma se senta sozinha convosco à mesa, recordai-vos de que a outra está a dormir na vossa cama.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

A Religião no dizer de Immanuel Kant...



Kant, já conhecido por nós aqui no blog, fora matéria de discussões em temas passados, filosoficamente, traz para toda a modernidade e atualidade uma reflexão elaborada na fenomenologia – “Corrente filosófica fundada por E. Husserl, visando estabelecer um método de fundamentação da ciência e de constituição da Filosofia como ciência rigorosa. O projeto fenomenológico se define como uma volta às coisas mesmas, isto é, aos fenômenos, aquilo que aparece à consciência, que se dá como seu objeto intencional”(JAPIASSÚ e MARCONDES. Dicionário Básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 1996. p.102) – afirmando que é impossível chegarmos a um conhecimento racional e concreto da coisa em si, mas somente daquilo que nos aparece. Com isso, Kant se impulsiona rumo ao aspecto das aparências, do como as coisas, suas realidades se mostram para nós e de como as percebemos realmente. Para ele, assim como a Física, a Metafísica e a Matemática têm seus estudos específicos e particulares, a Religião não terá esse privilégio, essa particularidade na rigidez da análise.
Porém, a Religião não passa despercebida e assume um papel totalmente moral e prático, é o dever identificado, como se fossem deveres religiosos, isto é, é a virtude moral quer fossem deveres religiosos. Deus existe na medida em que vivo sem condicionamentos ou com menos condicionamentos de acordo com minhas possibilidades éticas. A existência de Deus, para Kant, assume uma conecção entre minhas virtudes morais, comportamentais e minha própria felicidade, pois a felicidade começa no momento existencial e fenomênico em que o homem se utiliza de sua liberdade consciente e vital. Portanto, a Religião para ele seria essa conecção entre Deus e o eu interno e consciente em aderir determinada prática moral.
Um especialista em religiões, Mircea Eliade, competente na área, em seu livro “O Sagrado e o Profano”, vai de encontro a Kant afirmando que a Religião não deve assumir somente seu lado interno e moral, mas também ritual com detalhes sacramentais, litúrgicos, cúlticos para demonstrar existencialmente este sentimento religioso. É óbvio que isso não deve ser feito aleatoriamente ou rotineiramente, mas sempre buscando os sentidos primitivos de tempo e do próprio lugar onde se realiza tal rito, tal costume. As nossas expressões rituais não devem ter um sentido de promoção profissional e nem tampouco o de “status”, mas de crescimento espiritual e de comunhão ardente com Deus.
Kant tem uma cabeça pensante bastante ventilada pela busca de explicações filosóficas dos fenômenos no em torno de si. Leva isso a cabo. Sem dúvida contribuiu para uma tomada de posição acerca do aspecto religioso em diversas culturas ou em vários grupos, tidos como religiosos.
Mircea Eliade é um autor que se apropriou muitíssimo bem de todas as manifestações religiosas, de crenças multiformes, cheias de valores diferentes, porém respeitados e cultuados pelos povos tradicionais e atuais. Ele faz um apanhado histórico sobre as culturas religiosas e as traz para o comportamento fenomenológico das civilizações atuais ou consideradas como tais.

Jackislandy Meira de Medeiros Silva.
www.umasreflexoes.blogspot.com e
www.chegadootempo.blogspot

sábado, 8 de agosto de 2009

Ouçamos a voz do Espírito Santo!

Você deve dar atenção pronta e exclusiva à voz dos outros se realmente quiser ouvir a voz do Espírito Santo. Mike Murdock nos alerta quanto a isso:
"A solidão é necessária para a intimidade. A intimidade é necessária para a comunicação. A comunicação é necessária para a mudança. Você só poderá mudar se der atenção ao Espírito Santo, que fala conosco de várias maneiras. As palavras do Espírito Santo energizam e trazem vida". O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida(Jo 6.63).

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

A justiça de Florânia está cumprindo seu papel.



Florânia continua assistindo a um verdadeiro trabalho de investigação feito pelo Sr. Promotor Alysson Michel desta comarca. É de fato um trabalho que merece toda nossa afeição e consideração. A população de Florânia está muito grata para com tão profícuo serviço em nossa jurisdição. Parabéns, Promotor. A justiça brasileira está muito bem em suas mãos!


O Ministério Público presta bons serviços na pessoa do Sr. Promotor Alysson Michel que não mede esforços para tornar transparente para a população as irregularidades das gestões passadas e atual

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Para os soberbos em POLÍTICA...

Conforme os teóricos da política, sobretudo em Filosofia Política, como é o caso do pensador brasileiro Renato Janine Ribeiro, para quem a Política é uma parte do humano, ao citar Abraham Lincoln afirmou que é possível enganar todas as pessoas algum tempo, algumas pessoas o tempo todo, mas não dá para enganar a todos o tempo todo. Em virtude disso, é possível todos se interessarem um tempo pela política, alguns se interessarem por ela o tempo todo, mas não todos o tempo todo. Agora, sobre o ser humano, dá para se interessar muito. Karl Marx, nessa linha, adorava lembrar o dramaturgo de Roma, Terêncio: "Nada do que é humano me é estranho."
A partir dessa lucidez política, alguns políticos deviam deixar de enganar um pouco menos o povo. E para não pedir muito, parem de enganar o povo.
Jackislandy Meira de M. Silva. Professor e Filósofo.

domingo, 2 de agosto de 2009

COMUNICADO

TODA A SOCIEDADE FLORANIENSE É CONVIDADA A PARTICIPAR,
NESTA SEGUNDA-FEIRA, AMANHÃ, ÀS 15h., NA CÂMARA DOS
VEREADORES, DE UMA REUNIÃO QUE DECIDIRÁ OS RUMOS DA
EDUCAÇÃO MUNICIPAL. OS PROFESSORES, ALUNOS, PAIS,
CIDADÃOS, FUNCIONÁRIOS EM GERAL, POPULARES COMO UM
TODO SÃO CHAMADOS PARA ESTA REIVINDICAÇÃO EM PROL DA
IMPLEMENTAÇÃO DO PISO SALARIAL DOS PROFESSORES SEGUNDO
A LEI DO FUNDEB.

VAMOS PARTICIPAR. OS PROFESSORES MERECEM O CUMPRIMENTO
DE SUAS GARANTIAS SALARIAIS.

OBRIGADO.


JACKISLANDY MEIRA, PROFESSOR E FILÓSOFO, NA LUTA EM DEFESA DO PISO.

domingo, 30 de agosto de 2009

CINISMO POLÍTICO


Cheguei a afirmar aqui, em outros textos, que “mais vale virtude sem poder do que poder sem virtude”(Cf. COMTE-SPONVILLE, André. Valor e Verdade. São Paulo: WMF, Martins Fontes, 2008, pág. 44), uma vez que dificilmente abriremos mão da separação entre política e moral. Costumamos vestir a roupa da moral quando o assunto não diz respeito à política em nossas rodas de conversas. Do contrário, preferimos deixá-la no cabide, trancafiada em nossos guarda-roupas. Essa é uma triste e infeliz verdade! Tanto é que Diógenes, o cínico, certa vez afirmou: “Se a política e moral são disjuntas, é em benefício da moral: a virtude é tudo, o poder não é nada”(op. cit. pág. 45).
Com essa ideia, Diógenes chamou categoricamente a expressão “mais vale virtude sem poder do que poder sem virtude” de cinismo político. A meu ver, tal expressão tira a máscara da mentira de boa parte dos políticos de nossa região, haja vista uma imensa lista de promessas descabidas, mirabolantes, descontextualizadas que beiram ao ridículo, brincando ingenuamente com nossas inteligências. Só um aviso: “o povo é inteligente”. E outra: “o povo já está separando mentiras e verdades”. Digo isso porque o ano novo que se aproxima, 2010, será ano de eleições em todo o Brasil, uma verdadeira corrida eleitoral se espera para Presidente da República, Senador da República, Deputado Federal, Deputado Estadual e Governador de Estados, onde o eleitor estará sendo procurado com toda gana possível de propostas e boas intenções.
Como fiel defensor da memória histórica, mas também política, faço questão de lembrar algumas boas intenções – risos, risos, risos, é cômico como tudo o que é sem autenticidade e recheado de cinismos, de falsidades – de um certo Prefeito, recém eleito que se achava um bom “salvador da pátria”, mas firmou-se como um mau “pagador de promessas” quando prometeu cinicamente: 1. Equilíbrio nas contas públicas. Calendário de pagamento para os servidores. Calendário de pagamento para os fornecedores. Aumento de arrecadação; 2. Consecução de telefonia móvel para o município. Criação da área de Indústria e Comércio(incentivo a atração de empresas); 3. Valorização e independência dos professores. Revisão do plano de cargos e salários. Meta de todos professores com especialização em 4 anos. Merenda de qualidade. Transporte escolar para os alunos da zona rural. Colocar em funcionamento a escola da Rainha do Prado; 4. Ampliação do PSF. Convênio sólido com a APAMI. Realização de exames de média complexidade. Programas de saúde preventiva. Dentista de plantão nos fins de semana; 5. Perfuração de 60 poços tubulares. Melhoramento genético na pecuária. Pactuação do Seguro Safra. Ampliação do Programa Compra Direta. Aquisição de patrulha mecanizada; 6. Criação de curso preparatório para concursos. Incubadora de Empresas. Realização do Empretec no Município. Realização de cursos profissionalizantes. Parcerias com Sesi, Senai, Sebrae, etc, para realização de eventos e atividades ligadas ao Emprego. Criação de 250 vagas de Bolsa-Trabalho(vale). Colocar em funcionamento a Casa do mel; 7. Diagnóstico econômico e social do Município. Ampliação do bolsa-família. Projeto Caminhar(idosos). Projeto Renascer. Implantação da Casa das Famílias; 8. Concluir e equipar o Parque da Cidade. Construção de centro de treinamento e de campo de futebol. Capacitação de técnicos em Educação Física. Lei de Incentivo ao Esporte; 9. Exploração do eco-turismo. Exploração do turismo religioso. Criação do Calendário de eventos. Realização de feiras de negócios; 10. Valorização da Banda de Música. Reedição do livro Florânia. Lei de incentivo à Cultura; 11. Construção de 400 casas populares. Reforma de mais 400 casas; 12. Restauração das estradas rurais do município. Construção de mata-burros na zona rural. Ligação asfáltica ou de calçamento para a Serra do Cajueiro; 13. Ampliação da cozinha comunitária com distribuição de frutas(banana, laranja, etc). Ampliação de Programa do Leite; 14. Criação do Esporte Jovem. Realização de festas populares. Criação da Bolsa-Universitária.
É muita pretensão pra quem diz abertamente que está no meio do povo atendendo a população mais carente. O plano de ação, como vimos, é gigantesco, mas sua aplicação é... Esse político, Prefeito de uma pequena, porém nobre e bela cidade do interior do RN, em pouco mais de oito meses, passou de “salvador da cidade” a um “mau pagador de promessas”.
É fácil perceber, no perfil do político que nada ou quase nada cumpre, um cinismo generalizado, como que um vírus, como que uma pandemia, onde “o valor não é verdadeiro, a verdade não é um valor”(ibidem, p. 46). É aqui que tal político mais se parece com o que diz Maquiavel sobre política ao tirar e ao colocar a sua vestimenta moral como bem quiser, opondo assim política e moral no seu discurso e na sua prática de homem público.
A política caiu num círculo vicioso, digo em todos os níveis do país, de cinismo, de mentiras e de profecias baratas, sem nenhuma criatividade, sequer sem nenhum apoio logístico para tanto, é o que aponta Comte-Sponville em Valor e Verdade: “Não é a verdade que se busca, na política; é a vitória... Que se procure profetizar um pouco menos e querer um pouco mais(ao contrário dos Profetas, justamente)... Pensa-se que o combate contra o horror não cessará e que sempre os homens se oporão aos homens... É uma política interminável que é o contrário do messianismo. Isso não impede de querer o progresso e agir em conseqüência”(ibidem, p. 198-199).
Portanto, um grande homem na política se faz de preocupações com o bem-estar do povo e com o agir bem, de tal modo que o máximo de suas ações se orientem para o bom cumprimento das necessidades da cidade. No mais, que o povo sinta essa preocupação nele, essa procura constante e inseparável dele, visando sempre ao melhor para sua gente.
Jackislandy Meira de M. Silva, Professor e Filósofo.
Não deixem de conferir suas páginas na internet:
www.umasreflexoes.blogspot.com
www.chegadootempo.blogspot.com
www.twitter.com/filoflorania
www.floraniajacksil.ning.com

sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Freud e a Religião...


Segundo Freud, a Religião se equivale à própria estrutura psíquica do inconsciente, ao complexo de Édipo e complexo de culpa, pois tudo isso estaria ligado ao nosso sentimento religioso do “totem” e do “tabu”. O “totem” são todos os complexos de crenças e ideias que irão influenciar os estímulos da pessoa e de sua estrutura psíquica. O “tabu” é todo tipo de conceitos em torno do “totem” que a pessoa deve seguir sem quebrar seu segmento lógico e, talvez, histórico. O “tabu” guarda uma certa aproximação e afetividade para com determinado objeto, certo zelo, certo carinho que é capaz de motivar em nós um aspecto de comportamento externo atribuído ao rito. Para Freud, o recalque de um fato passado, talvez por ter matado o pai e desejado a mãe, transparece a dor comovedora bem lá no íntimo da estrutura psíquica que irá caracterizar a necessidade religiosa em seu pensamento.
A crítica a essa concepção de Freud vem a calhar no dizer de Mircea Eliade, a partir da obra “O Sagrado e Profano”, onde apresenta indiretamente uma posição contrária a de Freud, afirmando que o mesmo leva a pessoa a ser analisada apenas pelo lado sentimental e psíquico sem evidenciar os aspectos do mundo e da realidade existencial particular, pois não está relacionada somente à libido, mas a outros princípios básicos. Eliade procura libertar o homem do estado de aprisionamento da libido. O homem não só libido. O homem não é só desejo. O homem não é determinado só pelo prazer. Os nossos recalques não estão somente restritos a uma carência afetivo-psicológica. De fato, esta é uma realidade que não podemos desconsiderar, como diria Freud, tampouco podemos permitir que seja a única saída de respostas para todos os problemas, os males, as dores que envolvem a pessoa humana. Nesse ponto, é Deus quem, de fato, estabelece com a pessoa um diálogo de cura e de libertação de todos os problemas humanos. Digo “tudo” ou “todos” problemas que serão sarados porque é uma verdade posta pela Bíblia no Evangelho de João quando Jesus diz, de modo contundente: “Tudo que pedirdes ao Pai em meu nome eu realizarei”. É tudo mesmo! É confiando nessa promessa que o homem cristão se joga completamente nos braços de Cristo, crendo que será atendido para, enfim, resolver todos os seus complexos, todos os seus medos, todas as suas faltas e carências.
Deve ter sido por isso que Blaise Pascal tenha meditado a seguinte formulação em seus “PENSAMENTOS”: “Jesus Cristo é o objeto de tudo e o centro para onde tudo converge. Quem o conhece, conhece a razão de todas as coisas”(Col. Os pensadores, p. 178). A partir disso, é convicção de Pascal e também nossa, ter em Jesus a explicação e a solução de todas as misérias humanas.
Daí, é oportuno concluirmos essa discussão a partir dos “pensamentos” do filósofo Pascal, que além de tudo, era um autêntico cristão, ou pelo menos os seus pensamentos transparecem isso. Para ele, “a religião cristã ensina aos homens duas verdades a um só tempo: que há um Deus que os homens são capazes de alcançar e que há uma corrupção na natureza que os faz indignos. Importa igualmente aos homens conhecer ambos os pontos; e é igualmente perigoso aos homens conhecer Deus sem conhecer o redentor que pode curá-la. Um só desses conhecimentos causa ou o orgulho dos filósofos que conheceram Deus e não a própria miséria, ou o desespero dos ateus, que conhecem a própria miséria sem redentor”(Col. Os pensadores. p. 178).
Jackislandy Meira de M. Silva.
www.umasreflexoes.blogspot.com e
www.chegadootempo.blogspot.com.
www.twitter.com/filoflorania







quarta-feira, 26 de agosto de 2009

A libertação do pecado


Nós falamos da condição humana não para insistir somente no aspecto da fragilidade humana: corpo; psique; espiritual. No entanto, tocamos na comoção humana para vencermos, como Cristo, o mal, a morte, o pecado.
A ternura de Deus e a vitória sobre o mal.
A fragilidade humana: sinal de Deus que reconstrói a vida.
A vida de Cristo é uma oferta de graça. É ela que determina uma novidade na vida da pessoa. Principalmente, quando nos acontece uma experiência de graça.
Existe uma contradição: entre o ser; e o dever ser. A filosofia contemporânea elabora uma dialética sobre esses dois problemas.
Deixamos pra lá as contradições e nos apegamos às coisas. O niilismo, a negação do valor das coisas. A Reconciliação com Deus é a superação da divisão nas estruturas conflitivas que se encontram principalmente no coração do homem. Os exemplos são evangélicos: Mateus e Zaqueu. Um dia vocês serão salvos. Os primeiros que são tocados por Cristo são amados: “Vinde e vede”. Rm 7.14-25 – DIVIDIDOS. A divisão não é de origem dialética hegeliana e marxista, mas de origem ontológica, a partir dos conflitos internos do ser humano, sublinhado pelo apóstolo Paulo. Superar a divisão e vencer quando não se vê alguém dividido ou quando não se está dividido parece tarefa fácil. Agora, superar a divisão dentro da realidade e encontrar uma unidade pra ela é já uma tarefa honrosa. Pois se vence pela presença da Pessoa de Cristo, pelo encontro com a pessoa de Cristo. Cristo supera a dialética entre judeus e gregos; entre a lei e a Filosofia através da reconciliação com a Pessoa de Cristo.
A partir de Cl 1.20 em paralelo com Ef 2.12-18, é apresentada a comunhão com Deus de tipo pessoal de cósmica.
Em 2Cor 5.17-20, a pessoa que vive a unidade em si é uma pessoa nova. Tudo isso vem de Deus. O resgate do homem com seu redentor e salvador é obra de Deus através de Cristo, de uma pessoa, e não de uma dialética.
Tudo aquilo que é divisão é superado. O encontro dos apóstolos com o Senhor. Que experiência! Porque se toca a carne, a humanidade é bendita, santa de Cristo que agora está à direita do Pai. O resgate do fiel por Cristo é dado por uma pessoa, e não por um discurso. A volta do ser humano quebrantado para Deus é via Cristo pessoal. Portanto, é Deus quem reconcilia por Cristo.
É o olhar de Cristo que toca um coração dividido, contrito, quebrantado. É o reconhecimento da pessoa de Cristo que supera toda e qualquer divisão. Um fato marcante disso, é a famosa cena do filho pródigo no Evangelho que chora de dor ao lembrar do Pai. Isso não o move ainda. A dor ainda não é suficiente para fazê-lo sair do lugar. Mas na casa de meu Pai há tanta comida! O que move o caminho é a presença amorosa do Pai. É uma sinergia entre Deus e o homem, entre o movente e o movido, entre a Graça e a contrição, entre Cristo e o quebrantado que liberta integralmente o ser humano de todo pecado.
Toda essa experiência de libertação, de reconduzir o cristão perdido pelo pecado até Deus, é marcada pelo nosso SIM ao apelo salvador de Cristo em aceitá-lo verdadeiramente. É, em última instância, o SIM do crente a Cristo que o faz uma nova criatura, onde o abandono passa a dar lugar a uma presença real e atuante de Cristo. Nosso SIM pronunciado a Ele já foi dado mais de uma vez, “Pedro, Tu me amas?” Sim, nós o amamos.




segunda-feira, 24 de agosto de 2009

NOTA DE AGRADECIMENTO


A Comunidade floraniense agradece à pessoa do Dr. Alysson Michel de Azevedo Dantas, representante da Promotoria de Justiça da Comarca de Florânia/RN, pelos relevantes serviços prestados a esta população, uma vez que esteve conosco desde abril deste ano. Nesse período, investigou as denúncias que chegaram em suas mãos, com muito zelo e afinco, a fim de proporcionar aos cidadãos maior transparência e responsabilidade para com a administração pública.
Por tudo isso, em não hesitando e em não cedendo às pressões político-partidárias de nosso município, sendo imparcial, queremos tornar pública essa iniciativa de levar ao seu conhecimento e ao conhecimento de todos, a certeza de que a justiça, sob os seus cuidados estará em boas mãos. Estamos certos de que a comunidade para a qual se destinará, Jardim de Piranhas, fará bom usufruto de seus trabalhos competentes. Que a competência e a fidelidade legal o acompanhem por toda a sua vida profissional.


Pela Comissão de Servidores Públicos Municipais de Florânia,
Ao Exmo. Sr. Promotor de Justiça Dr. Alysson Michel de Azevedo Dantas.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Da alegria...

O melhor é seguir o exemplo de Epicuro...
DA ALEGRIA E DA TRISTEZA
Então uma mulher disse-lhe: Fala-nos da alegria e da tristeza.
E ele respondeu:
A vossa alegria não é outra se não a vossa tristeza sem máscara.
(...)
Quanto mais profunda for a tristeza que despedaça o vosso ser, tanto maior é a alegria que podeis conter.
(...)
Alguns de entre vós dizem: a alegria é maior que a tristeza, e outros dizem: a tristeza é maior.
Mas eu vos digo que elas são inseparáveis.
Juntas elas surgem e, quando uma se senta sozinha convosco à mesa, recordai-vos de que a outra está a dormir na vossa cama.

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

A Religião no dizer de Immanuel Kant...



Kant, já conhecido por nós aqui no blog, fora matéria de discussões em temas passados, filosoficamente, traz para toda a modernidade e atualidade uma reflexão elaborada na fenomenologia – “Corrente filosófica fundada por E. Husserl, visando estabelecer um método de fundamentação da ciência e de constituição da Filosofia como ciência rigorosa. O projeto fenomenológico se define como uma volta às coisas mesmas, isto é, aos fenômenos, aquilo que aparece à consciência, que se dá como seu objeto intencional”(JAPIASSÚ e MARCONDES. Dicionário Básico de Filosofia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar. 1996. p.102) – afirmando que é impossível chegarmos a um conhecimento racional e concreto da coisa em si, mas somente daquilo que nos aparece. Com isso, Kant se impulsiona rumo ao aspecto das aparências, do como as coisas, suas realidades se mostram para nós e de como as percebemos realmente. Para ele, assim como a Física, a Metafísica e a Matemática têm seus estudos específicos e particulares, a Religião não terá esse privilégio, essa particularidade na rigidez da análise.
Porém, a Religião não passa despercebida e assume um papel totalmente moral e prático, é o dever identificado, como se fossem deveres religiosos, isto é, é a virtude moral quer fossem deveres religiosos. Deus existe na medida em que vivo sem condicionamentos ou com menos condicionamentos de acordo com minhas possibilidades éticas. A existência de Deus, para Kant, assume uma conecção entre minhas virtudes morais, comportamentais e minha própria felicidade, pois a felicidade começa no momento existencial e fenomênico em que o homem se utiliza de sua liberdade consciente e vital. Portanto, a Religião para ele seria essa conecção entre Deus e o eu interno e consciente em aderir determinada prática moral.
Um especialista em religiões, Mircea Eliade, competente na área, em seu livro “O Sagrado e o Profano”, vai de encontro a Kant afirmando que a Religião não deve assumir somente seu lado interno e moral, mas também ritual com detalhes sacramentais, litúrgicos, cúlticos para demonstrar existencialmente este sentimento religioso. É óbvio que isso não deve ser feito aleatoriamente ou rotineiramente, mas sempre buscando os sentidos primitivos de tempo e do próprio lugar onde se realiza tal rito, tal costume. As nossas expressões rituais não devem ter um sentido de promoção profissional e nem tampouco o de “status”, mas de crescimento espiritual e de comunhão ardente com Deus.
Kant tem uma cabeça pensante bastante ventilada pela busca de explicações filosóficas dos fenômenos no em torno de si. Leva isso a cabo. Sem dúvida contribuiu para uma tomada de posição acerca do aspecto religioso em diversas culturas ou em vários grupos, tidos como religiosos.
Mircea Eliade é um autor que se apropriou muitíssimo bem de todas as manifestações religiosas, de crenças multiformes, cheias de valores diferentes, porém respeitados e cultuados pelos povos tradicionais e atuais. Ele faz um apanhado histórico sobre as culturas religiosas e as traz para o comportamento fenomenológico das civilizações atuais ou consideradas como tais.

Jackislandy Meira de Medeiros Silva.
www.umasreflexoes.blogspot.com e
www.chegadootempo.blogspot

sábado, 8 de agosto de 2009

Ouçamos a voz do Espírito Santo!

Você deve dar atenção pronta e exclusiva à voz dos outros se realmente quiser ouvir a voz do Espírito Santo. Mike Murdock nos alerta quanto a isso:
"A solidão é necessária para a intimidade. A intimidade é necessária para a comunicação. A comunicação é necessária para a mudança. Você só poderá mudar se der atenção ao Espírito Santo, que fala conosco de várias maneiras. As palavras do Espírito Santo energizam e trazem vida". O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida(Jo 6.63).

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

A justiça de Florânia está cumprindo seu papel.



Florânia continua assistindo a um verdadeiro trabalho de investigação feito pelo Sr. Promotor Alysson Michel desta comarca. É de fato um trabalho que merece toda nossa afeição e consideração. A população de Florânia está muito grata para com tão profícuo serviço em nossa jurisdição. Parabéns, Promotor. A justiça brasileira está muito bem em suas mãos!


O Ministério Público presta bons serviços na pessoa do Sr. Promotor Alysson Michel que não mede esforços para tornar transparente para a população as irregularidades das gestões passadas e atual

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Para os soberbos em POLÍTICA...

Conforme os teóricos da política, sobretudo em Filosofia Política, como é o caso do pensador brasileiro Renato Janine Ribeiro, para quem a Política é uma parte do humano, ao citar Abraham Lincoln afirmou que é possível enganar todas as pessoas algum tempo, algumas pessoas o tempo todo, mas não dá para enganar a todos o tempo todo. Em virtude disso, é possível todos se interessarem um tempo pela política, alguns se interessarem por ela o tempo todo, mas não todos o tempo todo. Agora, sobre o ser humano, dá para se interessar muito. Karl Marx, nessa linha, adorava lembrar o dramaturgo de Roma, Terêncio: "Nada do que é humano me é estranho."
A partir dessa lucidez política, alguns políticos deviam deixar de enganar um pouco menos o povo. E para não pedir muito, parem de enganar o povo.
Jackislandy Meira de M. Silva. Professor e Filósofo.

domingo, 2 de agosto de 2009

COMUNICADO

TODA A SOCIEDADE FLORANIENSE É CONVIDADA A PARTICIPAR,
NESTA SEGUNDA-FEIRA, AMANHÃ, ÀS 15h., NA CÂMARA DOS
VEREADORES, DE UMA REUNIÃO QUE DECIDIRÁ OS RUMOS DA
EDUCAÇÃO MUNICIPAL. OS PROFESSORES, ALUNOS, PAIS,
CIDADÃOS, FUNCIONÁRIOS EM GERAL, POPULARES COMO UM
TODO SÃO CHAMADOS PARA ESTA REIVINDICAÇÃO EM PROL DA
IMPLEMENTAÇÃO DO PISO SALARIAL DOS PROFESSORES SEGUNDO
A LEI DO FUNDEB.

VAMOS PARTICIPAR. OS PROFESSORES MERECEM O CUMPRIMENTO
DE SUAS GARANTIAS SALARIAIS.

OBRIGADO.


JACKISLANDY MEIRA, PROFESSOR E FILÓSOFO, NA LUTA EM DEFESA DO PISO.

Atividade no Facebook

Mais vistas: