quarta-feira, 30 de junho de 2010

Terça-feira, 29 de junho de 2010. 19º dia da Copa...


Chegamos às quartas-de-final com quatro seleções sul-americanas. A copa do mundo da África parece reviver para nós a tão familiar Copa América. O que nos deixa super-orgulhosos e mais tranquilos. As seleções sul-americanas impressionam a todos pela força e pelo bom futebol em campo. Quatro seleções brigam para chegar a tão sonhada final, dia 11 de julho de 2010 em que conheceremos a grande campeã da copa da África. Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai estarão disputando cada jogo destas quartas. Até agora restaram quatro seleções sul-americanas, três européias (Espanha, Holanda, Alemanha) e uma africana (Gana).

Hoje, Portugal estava na briga, mas não conseguiu surpreender a poderosa seleção espanhola que, mesmo no sufoco e pressionada, conseguiu ganhar de 1 a 0 sobre os portugueses. Espanha ratifica favoritismo nas bolsas de apostas da Europa e vai às quartas-de-final bastante confiante.

O jogo Japão e Paraguai foi truncado e super-acirrado com muita correria de ambos os lados. Paraguai criou ótimas chances de gol e quase define a partida em tempo normal. Japão arriscou de longe o gol paraguaio, trazendo até alguns perigos durante a partida, mas ficou nisso, Japão 0, Paraguai também 0. Nem a prorrogação foi suficiente para os dois times mudarem o placar. Jogo igual, sem riscos de gol, poucas oportunidades de gol, placar só pode ser igual. E o jogo se arrasta para os pênaltis a custa de pouca objetividade das duas seleções. Nos pênaltis, aliam-se competência, controle emocional e sorte. Aquela seleção que conseguir unir tudo isso nas suas cobranças diretas da marca da cal, certamente sairá vitoriosa. O primeiro jogo desta copa em que foi decidido nos pênaltis, o famoso destino de um jogo no mata-mata. E deu Paraguai, convertendo todos os pênaltis. Japão vai pra casa depois de um de seus jogadores desperdiçarem uma cobrança no travessão. Até 2014, Japão. Onde nós seremos seus anfitriões.

Todavia, foi o que rendeu mais um dia desta copa. Enquanto Portugal e Japão arrumam as malas pra casa, Espanha e Paraguai aquecem as chuteiras pensando seus adversários nas quartas.

A partir de agora, a copa nos deixa com os nervos a flor da pele. Segurar as emoções não é fácil, mas temos que torcer. A copa abre um pequeno espaço de dois dias pra tomarmos fôlego e recarregarmos as baterias para os jogos das quartas-de-final que serão de pura emoção.

A seleção brasileira que nos ouça. Esta copa está com a cara que é nossa! Vamos ao Hexa!


Professor Jackislandy Meira de Medeiros Silva

www.umasreflexoes.blogspot.com

www.chegadootempo.blogspot.com

www.twitter.com/filoflorania

terça-feira, 29 de junho de 2010

Segunda-feira, 28 de junho de 2010. 18º dia da Copa...



Podem registrar nos anais da memória das copas, a belíssima vitória da seleção brasileira sobre o Chile. O Brasil teve um domínio absoluto do início ao fim do jogo. Isso demonstra a superioridade técnica e tática da seleção brasileira sobre a chilena. A primeira goleada do Brasil na copa da África até aqui. Uma vitória convincente.

O Brasil de todos os brasis, isto é, o Brasil de hoje passou admiravelmente por cima do bom toque de bola da seleção chilena, que sabe inverter as jogadas rapidamente; tem um ótimo ataque; vai ao ataque constantemente de modo ofensivo e volta possivelmente para recompor sua zaga. Mas Brasil é Brasil em copas. Honrou a tradição da camisa canarinho e não tomou conhecimento da boa campanha chilena na copa, meteu 3 a 0 com muitíssima qualidade técnica. O Brasil demonstrou eficiência nos contra ataques e excelente postura na marcação. Marcou muito bem sem a bola nos pés e mostrou habilidade e objetividade com a “jabulani” sob seu domínio.

Não é tão simples assim adjetivar os três gols desta grandiosa atuação da nossa seleção. Mas lá vai. O primeiro gol de Ruan, zagueiro da seleção, ex-zagueiro do Flamengo, marcou de cabeça em cobrança de escanteio num momento muito delicado do jogo, pois os chilenos estavam começando a gostar de jogar contra nós. Um gol necessário da competente zaga brasileira. Valeu Ruan!

Costumo dizer em jogos assim que, saindo o primeiro, o mais é consequência da partida. O Chile foi pra cima sem ameaçar o Brasil e se abriu bastante facilitando os rápidos contra ataques na seleção canarinho. Ainda no primeiro tempo com gol de Luís Fabiano, fruto de uma tabela magnífica entre Robinho, Kaká e Luís Fabiano que driblou o goleiro para marcar um gol de placa e com muita plasticidade. Este foi o gol “show” da partida, matando qualquer reação chilena.

No segundo tempo, o protagonista do terceiro e último gol da seleção amarelinha foi Ramires que carregou a “jabulani” do meio campo até a intermediária e tocou para Robinho marcar de classe e com muita, mas muita categoria mesmo, o gol que define de vez a partida. Final 3 a 0 para o Brasil diante da perigosa, porém freguesa seleção chilena. Tchau Chile!

Que venha a Holanda nas quartas-de-final!

Um outro jogo fez parte deste dia na copa do mundo. Holanda e Eslováquia. Para não dispensar comentários, quero dizer que foi um jogo previsível. Todos esperavam Holanda vencer facilmente, e foi o que aconteceu. A Eslováquia fria em campo sem qualquer poder de reação contra a poderosíssima Holanda de Van Bommel, Van Persie e Sneijder, não demonstrou um futebol à altura de uma copa do mundo.
Ao fazer 2 a 0 em cima da Eslováquia, a Holanda termina o jogo com 2 a 1 no placar, vindo a sofrer um gol de pênaltis no finalzinho da partida. A Holanda está garantida nas quartas para enfrentar a seleção brasileira.

As quartas-de-final prometem um duelo de gigantes, Brasil e Holanda. Como sempre, não dá para prever um jogo dessa natureza. É história demais em campo. Vai ser muita pressão emocional. E haja coração, minha gente!

O jogo Brasil e Holanda reserva sempre muitas dramaticidades quando se enfrentam em copas do mundo.

Decerto, a seleção brasileira passando pela Holanda chega tranquilamente nas finais com Alemanha ou Argentina. Torço por uma final igual a de 2002 quando fomos pentacampeões, Brasil e Alemanha. E vamos ao Hexa!

Jackislandy Meira de M. Silva
www.umasreflexoes.blogspot.com
www.chegadootempo.blogspot.com
www.twitter.com/filoflorania

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Domingo, 27 de junho de 2010. 17º dia da Copa...


O dia é marcado por um erro horrível de Jorge Larrionda, vide foto. A “jabulani” entrou e todo mundo viu. Eu vi!

(foto: árbitro do jogo Alemanha x Inglaterra, Jorge Larrionda)

Duas irregularidades ou dois erros de arbitragem foram os destaques dos jogos Alemanha x Inglaterra e Argentina x México. Erros escabrosos que influenciaram diretamente nas partidas. Infelizmente, os juízes não viram e deixaram o jogo seguir.

Vamos começar pelo jogo Alemanha e Inglaterra. Quando o placar estava 2 a 1 para a Alemanha, o jogador inglês dentro da área chutou por cima do goleiro, a jabulani bateu no travessão e entrou mais de um palmo depois da linha divisória. O bandeirinha não viu. O juiz não viu. Mas o estádio inteirinho viu, e vaiou o juiz por deixar o jogo seguir sem marcar o gol válido para Inglaterra que no momento da partida empataria e poderia aplicar um sufoco na Alemanha que venceu a partida por 4 a 1. Resultado extremamente facilitado pelo fator gol não validado da Inglaterra. O time inglês parece que sentiu muito a raiva do erro dentro de campo e acabou prejudicada. Mais um timaço foi pra casa. Menos uma força do futebol mundial, a Inglaterra de Rooney.

O jogo Argentina e México começou com um bom futebol do México liderado pelo craque Giovani dos Santos que pressionava a Argentina de Messi sem dó nem piedade. Só que, infelizmente, mais um erro de arbitragem facilita a vitória da Argentina. Numa roubada de bola, Leonel Messi toca rapidamente para Carlito Tevez que, impedido, na garapa, fez um gol sem graça, mas dava a vantagem da Argentina no placar e num jogo decisivo nas oitavas da copa. Isso mexeu muito com os jogadores mexicanos dentro de campo, uma vez que, naquele instante, os argentinos estavam sendo pressionados e quase haviam sofrido gols no início. E aí na sequência uma bobeira da zaga mexicana faz com que os argentinos aumentem o placar, ainda no primeiro tempo, para 2 a 0. No segundo tempo, os argentinos folgados no placar e entusiasmados na partida foram pra cima dos mexicanos proporcionando um jogo lá e cá bastante disputado com inúmeras chances de gol desperdiçadas. Numa certa altura do segundo tempo do jogo, Carlito Tevez tem a felicidade de pegar na veia uma bola na entrada da área sem chances para o pequenino goleiro do México. Um golaço de Tevez, ex-jogador do Corinthians. Nos quinze minutos finais do jogo, o México ainda desconta, fazendo também um golaço. Só que já era tarde demais para emplacar uma reação. E ficou nisso, 3 a 1 para a Argentina que segue no mundial.

É, minha gente, desta vez não pra secar “los hermanos”.

Vamos ver se ela passa pela fortíssima seleção da Alemanha nas quartas. Muitas emoções ainda virão nesse mundial.

Torçamos para que amanhã não sejamos acometidos pelas incríveis falhas de nossos juízes em campo.

Inspiração Brasil! Sabemos que dá pra passar sobre os chilenos.


Professor Jackislandy Meira de Medeiros Silva

www.umasreflexoes.blogspot.com

www.chegadootempo.blogspot.com

www.twitter.com/filoflorania

domingo, 27 de junho de 2010

Sábado, 26 de junho de 2010. 16º dia da Copa...


Como é difícil acompanhar, jogo após jogo, a copa. Afinal de contas somos humanos e temos nossas vidas pra seguir e tê-las como prioridade. A copa é um evento esportivo à parte que não pode substituir o curso social que estamos habituados a viver. Deus, família, trabalho, saúde, paz e amor não devem ser valores secundários, principalmente em tempos de copa, pois são valores imprescindíveis ao fortalecimento da nossa individualidade pessoal e espiritual, como também material.

Pouco acompanhei os jogos de hoje, em virtude de compromissos outros que me são caros. No entanto, basta ligarmos a televisão que imediatamente as notícias nos fazem voltar ao clima de copa do mundo. Com um evento dessa envergadura não podia ser diferente, uma vez que a copa carrega consigo fatos históricos, políticos e econômicos. Daí, os jornais não darem trégua pra copa do mundo. São eles que nos mantém atualizados. Copa não é só sinônimo de entretenimento, lazer, mas também sinônimo de cultura e politização. Um evento em que reúne diferentes nações, uma diversidade de povos em busca do mesmo objetivo, ser campeão mundial de futebol, e ao mesmo tempo, mostrar para o mundo inteiro o seu potencial.


Todavia, tem início a fase do mata-mata.


Quem perder não tem perdão e dá adeus a copa do mundo.


Os jogos, a partir de agora, são decididos no detalhe, num toque de espíritos de finura e de geometria como diria o filósofo Blaise Pascal. Os trogloditas que tomem cuidado e amenizem um pouco mais a força física. Procurem jogar futebol com finura em busca do gol. Queremos ver as redes balançarem mais nesta copa.


O primeiro jogo das oitavas é disputado entre Uruguai, a surpresinha da copa e Coreia do Sul, a equipe extremamente veloz.


De repente ouço um grito quase sumindo de gol. Olhei para o relógio e dei-me conta de que já passou a hora de iniciar o primeiro jogo do dia. Vixe! Que é isso? Mal começa a partida e a celeste uruguaia acaba de fazer um gol. Vai ser uma goleada, disse comigo em meus pensamentos. Ora, no início do segundo tempo, parece que andaram subestimando os coreanos e, não demorou muito, empataram o jogo. Mas, com atacantes de maior qualidade em campo, o Uruguai faz outro gol e vence a partida por 2 a 1. Resultado que podia ser diferente se os sul-coreanos não tivessem perdido inúmeras oportunidades de virar o jogo. Mas valeu o esforço da Coreia do Sul que vai pra casa satisfeita pelo ótimo desempenho nesta copa, saindo apenas nas oitavas.


EUA e Gana foi um jogo bastante corrido, dramático e surpreendente do início ao fim. Quem diria que logo no início do jogo o atacante ganês pegaria a bola na entrada da área e chutava no canto direito do goleiro norte-americano sem chances de qualquer defesa. Rapidinho Gana surpreende a todos e aos EUA que não conseguem fazer nada durante o resto do primeiro tempo e boa parte do segundo. Mas conseguem milagrosamente, num gol sem graça, empatar a partida. Daí pra frente o jogo fica lá e cá, muito bom de se ver. A tensão de saber quem fica realmente com a vaga nas quartas só tem fim na prorrogação com um gol de pura raça e resistência física do atacante de Gana. Ali, naquele instante do gol, tive a certeza de que Gana ficaria com a vaga. Era apenas uma questão de tempo.


No final, a felicidade tomou conta dos ganeses espalhados em todo o estádio que balançavam as suas bandeiras e gritavam o nome de seu país. GANA, GANA, GANA, GANA, GANA...


Salve Gana, a sobrevivente da África continua vivível na competição!


Professor Jackislandy Meira de Medeiros Silva
www.umasreflexoes.blogspot.com
www.chegadootempo.blogspot.com
www.twitter.com/filoflorania

sábado, 26 de junho de 2010

Sexta-feira, 25 de junho. 15º dia da Copa...


Até mesmo C. Drummond de Andrade, que não era ligado às artes de jogar, deixou-se embalar pela euforia da Copa de 70: “Hoje, porém, acordo, e eis que me estranho: Que é de meu coração? Está no México”. Contextualizando o sentimento de Drummond, diria eu: “Que é de meu coração? Está na África”.

Terminei de preencher completamente a primeira fase da minha tabela da Copa. E olhando de relance os resultados bonitinhos já afixados na tabela, salta aos olhos da gente a satisfação do dever cumprido. Muitas seleções, do grupo A ao grupo H, deram o próprio sangue para estarem com a vaga garantida nas oitavas. Algumas nem tanto, saíram cedo da copa e ficaram devendo. Nem tudo é perfeito. É assim também com o futebol.

Quem assistiu ao jogo Brasil e Portugal percebeu que faltou inspiração porque não jogaram Robinho, Kaká e Elano. Robinho e Elano machucados, Kaká suspenso devido a uma expulsão no último jogo desfalcaram a Seleção brasileira que proporcionou a Portugal um empate sem gols e uma partida sem empolgação, trazendo soninho ao telespectador.

Jogaram pelo resultado, com o regulamento debaixo dos braços. Já classificadas, Brasil e Portugal empatadas só tinham que aguardar os jogos do grupo vizinho pra saber com quem iam jogar nas oitavas.

Como diria Galvão Bueno: Para o Brasil, que venha o Chile! Para Portugal, que venha a Espanha!

O jogo sem gols é um fado. Traz sono e descaso. Um certo relaxamento. Sem gols, no futebol, não há vitória, não há comemoração, celebração. No Brasil, não há samba. O gol é necessário! Balancem as redes, meninos!

Segundo João Cabral de Melo Neto, “o desábito de vencer não cria o calo da vitória”, diz o poeta. Mas o gosto de cada jogo ganho é muito bem guardado, sem mofo: “coisa fresca, pele sensível, núbil, nova, ácida à língua qual cajá, salto do sol no cais da Aurora.”

Pois é... Sem gols, só nos resta o sabor de alguns versos sob o título de AMIGA É A BOLA.

Cara amiga é a bola

Empresta ao jogador a honra da vitória.

A África do Sul passará para a história

Como sede da copa 2010

Por celebrar a bola e não a vitória.

Quem disse que só as vencedoras merecem comemorar?

Sem a bola não haveria vencedoras.

Parabéns África pela festa. Salve a África por criar a bola.

A “jabulani” vencedora!

Às conquistadoras da “jabulani”, boas vindas à fase do mata-mata. Como no futebol nem sempre a melhor vence, que vença aquela que mais vontade tenha de dominar a “jabulani”. E para não faltar uma pitada de Filosofia, segundo Nietzsche, vencerá aquela que depositar mais vontade de poder sobre a “jabulani”, sobre a bola.


Professor Jackislandy Meira de Medeiros Silva

www.umasreflexoes.blogspot.com

www.chegadootempo.blogspot.com

www.twitter.com/filoflorania

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Terça-feira, 29 de junho de 2010. 19º dia da Copa...


Chegamos às quartas-de-final com quatro seleções sul-americanas. A copa do mundo da África parece reviver para nós a tão familiar Copa América. O que nos deixa super-orgulhosos e mais tranquilos. As seleções sul-americanas impressionam a todos pela força e pelo bom futebol em campo. Quatro seleções brigam para chegar a tão sonhada final, dia 11 de julho de 2010 em que conheceremos a grande campeã da copa da África. Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai estarão disputando cada jogo destas quartas. Até agora restaram quatro seleções sul-americanas, três européias (Espanha, Holanda, Alemanha) e uma africana (Gana).

Hoje, Portugal estava na briga, mas não conseguiu surpreender a poderosa seleção espanhola que, mesmo no sufoco e pressionada, conseguiu ganhar de 1 a 0 sobre os portugueses. Espanha ratifica favoritismo nas bolsas de apostas da Europa e vai às quartas-de-final bastante confiante.

O jogo Japão e Paraguai foi truncado e super-acirrado com muita correria de ambos os lados. Paraguai criou ótimas chances de gol e quase define a partida em tempo normal. Japão arriscou de longe o gol paraguaio, trazendo até alguns perigos durante a partida, mas ficou nisso, Japão 0, Paraguai também 0. Nem a prorrogação foi suficiente para os dois times mudarem o placar. Jogo igual, sem riscos de gol, poucas oportunidades de gol, placar só pode ser igual. E o jogo se arrasta para os pênaltis a custa de pouca objetividade das duas seleções. Nos pênaltis, aliam-se competência, controle emocional e sorte. Aquela seleção que conseguir unir tudo isso nas suas cobranças diretas da marca da cal, certamente sairá vitoriosa. O primeiro jogo desta copa em que foi decidido nos pênaltis, o famoso destino de um jogo no mata-mata. E deu Paraguai, convertendo todos os pênaltis. Japão vai pra casa depois de um de seus jogadores desperdiçarem uma cobrança no travessão. Até 2014, Japão. Onde nós seremos seus anfitriões.

Todavia, foi o que rendeu mais um dia desta copa. Enquanto Portugal e Japão arrumam as malas pra casa, Espanha e Paraguai aquecem as chuteiras pensando seus adversários nas quartas.

A partir de agora, a copa nos deixa com os nervos a flor da pele. Segurar as emoções não é fácil, mas temos que torcer. A copa abre um pequeno espaço de dois dias pra tomarmos fôlego e recarregarmos as baterias para os jogos das quartas-de-final que serão de pura emoção.

A seleção brasileira que nos ouça. Esta copa está com a cara que é nossa! Vamos ao Hexa!


Professor Jackislandy Meira de Medeiros Silva

www.umasreflexoes.blogspot.com

www.chegadootempo.blogspot.com

www.twitter.com/filoflorania

terça-feira, 29 de junho de 2010

Segunda-feira, 28 de junho de 2010. 18º dia da Copa...



Podem registrar nos anais da memória das copas, a belíssima vitória da seleção brasileira sobre o Chile. O Brasil teve um domínio absoluto do início ao fim do jogo. Isso demonstra a superioridade técnica e tática da seleção brasileira sobre a chilena. A primeira goleada do Brasil na copa da África até aqui. Uma vitória convincente.

O Brasil de todos os brasis, isto é, o Brasil de hoje passou admiravelmente por cima do bom toque de bola da seleção chilena, que sabe inverter as jogadas rapidamente; tem um ótimo ataque; vai ao ataque constantemente de modo ofensivo e volta possivelmente para recompor sua zaga. Mas Brasil é Brasil em copas. Honrou a tradição da camisa canarinho e não tomou conhecimento da boa campanha chilena na copa, meteu 3 a 0 com muitíssima qualidade técnica. O Brasil demonstrou eficiência nos contra ataques e excelente postura na marcação. Marcou muito bem sem a bola nos pés e mostrou habilidade e objetividade com a “jabulani” sob seu domínio.

Não é tão simples assim adjetivar os três gols desta grandiosa atuação da nossa seleção. Mas lá vai. O primeiro gol de Ruan, zagueiro da seleção, ex-zagueiro do Flamengo, marcou de cabeça em cobrança de escanteio num momento muito delicado do jogo, pois os chilenos estavam começando a gostar de jogar contra nós. Um gol necessário da competente zaga brasileira. Valeu Ruan!

Costumo dizer em jogos assim que, saindo o primeiro, o mais é consequência da partida. O Chile foi pra cima sem ameaçar o Brasil e se abriu bastante facilitando os rápidos contra ataques na seleção canarinho. Ainda no primeiro tempo com gol de Luís Fabiano, fruto de uma tabela magnífica entre Robinho, Kaká e Luís Fabiano que driblou o goleiro para marcar um gol de placa e com muita plasticidade. Este foi o gol “show” da partida, matando qualquer reação chilena.

No segundo tempo, o protagonista do terceiro e último gol da seleção amarelinha foi Ramires que carregou a “jabulani” do meio campo até a intermediária e tocou para Robinho marcar de classe e com muita, mas muita categoria mesmo, o gol que define de vez a partida. Final 3 a 0 para o Brasil diante da perigosa, porém freguesa seleção chilena. Tchau Chile!

Que venha a Holanda nas quartas-de-final!

Um outro jogo fez parte deste dia na copa do mundo. Holanda e Eslováquia. Para não dispensar comentários, quero dizer que foi um jogo previsível. Todos esperavam Holanda vencer facilmente, e foi o que aconteceu. A Eslováquia fria em campo sem qualquer poder de reação contra a poderosíssima Holanda de Van Bommel, Van Persie e Sneijder, não demonstrou um futebol à altura de uma copa do mundo.
Ao fazer 2 a 0 em cima da Eslováquia, a Holanda termina o jogo com 2 a 1 no placar, vindo a sofrer um gol de pênaltis no finalzinho da partida. A Holanda está garantida nas quartas para enfrentar a seleção brasileira.

As quartas-de-final prometem um duelo de gigantes, Brasil e Holanda. Como sempre, não dá para prever um jogo dessa natureza. É história demais em campo. Vai ser muita pressão emocional. E haja coração, minha gente!

O jogo Brasil e Holanda reserva sempre muitas dramaticidades quando se enfrentam em copas do mundo.

Decerto, a seleção brasileira passando pela Holanda chega tranquilamente nas finais com Alemanha ou Argentina. Torço por uma final igual a de 2002 quando fomos pentacampeões, Brasil e Alemanha. E vamos ao Hexa!

Jackislandy Meira de M. Silva
www.umasreflexoes.blogspot.com
www.chegadootempo.blogspot.com
www.twitter.com/filoflorania

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Domingo, 27 de junho de 2010. 17º dia da Copa...


O dia é marcado por um erro horrível de Jorge Larrionda, vide foto. A “jabulani” entrou e todo mundo viu. Eu vi!

(foto: árbitro do jogo Alemanha x Inglaterra, Jorge Larrionda)

Duas irregularidades ou dois erros de arbitragem foram os destaques dos jogos Alemanha x Inglaterra e Argentina x México. Erros escabrosos que influenciaram diretamente nas partidas. Infelizmente, os juízes não viram e deixaram o jogo seguir.

Vamos começar pelo jogo Alemanha e Inglaterra. Quando o placar estava 2 a 1 para a Alemanha, o jogador inglês dentro da área chutou por cima do goleiro, a jabulani bateu no travessão e entrou mais de um palmo depois da linha divisória. O bandeirinha não viu. O juiz não viu. Mas o estádio inteirinho viu, e vaiou o juiz por deixar o jogo seguir sem marcar o gol válido para Inglaterra que no momento da partida empataria e poderia aplicar um sufoco na Alemanha que venceu a partida por 4 a 1. Resultado extremamente facilitado pelo fator gol não validado da Inglaterra. O time inglês parece que sentiu muito a raiva do erro dentro de campo e acabou prejudicada. Mais um timaço foi pra casa. Menos uma força do futebol mundial, a Inglaterra de Rooney.

O jogo Argentina e México começou com um bom futebol do México liderado pelo craque Giovani dos Santos que pressionava a Argentina de Messi sem dó nem piedade. Só que, infelizmente, mais um erro de arbitragem facilita a vitória da Argentina. Numa roubada de bola, Leonel Messi toca rapidamente para Carlito Tevez que, impedido, na garapa, fez um gol sem graça, mas dava a vantagem da Argentina no placar e num jogo decisivo nas oitavas da copa. Isso mexeu muito com os jogadores mexicanos dentro de campo, uma vez que, naquele instante, os argentinos estavam sendo pressionados e quase haviam sofrido gols no início. E aí na sequência uma bobeira da zaga mexicana faz com que os argentinos aumentem o placar, ainda no primeiro tempo, para 2 a 0. No segundo tempo, os argentinos folgados no placar e entusiasmados na partida foram pra cima dos mexicanos proporcionando um jogo lá e cá bastante disputado com inúmeras chances de gol desperdiçadas. Numa certa altura do segundo tempo do jogo, Carlito Tevez tem a felicidade de pegar na veia uma bola na entrada da área sem chances para o pequenino goleiro do México. Um golaço de Tevez, ex-jogador do Corinthians. Nos quinze minutos finais do jogo, o México ainda desconta, fazendo também um golaço. Só que já era tarde demais para emplacar uma reação. E ficou nisso, 3 a 1 para a Argentina que segue no mundial.

É, minha gente, desta vez não pra secar “los hermanos”.

Vamos ver se ela passa pela fortíssima seleção da Alemanha nas quartas. Muitas emoções ainda virão nesse mundial.

Torçamos para que amanhã não sejamos acometidos pelas incríveis falhas de nossos juízes em campo.

Inspiração Brasil! Sabemos que dá pra passar sobre os chilenos.


Professor Jackislandy Meira de Medeiros Silva

www.umasreflexoes.blogspot.com

www.chegadootempo.blogspot.com

www.twitter.com/filoflorania

domingo, 27 de junho de 2010

Sábado, 26 de junho de 2010. 16º dia da Copa...


Como é difícil acompanhar, jogo após jogo, a copa. Afinal de contas somos humanos e temos nossas vidas pra seguir e tê-las como prioridade. A copa é um evento esportivo à parte que não pode substituir o curso social que estamos habituados a viver. Deus, família, trabalho, saúde, paz e amor não devem ser valores secundários, principalmente em tempos de copa, pois são valores imprescindíveis ao fortalecimento da nossa individualidade pessoal e espiritual, como também material.

Pouco acompanhei os jogos de hoje, em virtude de compromissos outros que me são caros. No entanto, basta ligarmos a televisão que imediatamente as notícias nos fazem voltar ao clima de copa do mundo. Com um evento dessa envergadura não podia ser diferente, uma vez que a copa carrega consigo fatos históricos, políticos e econômicos. Daí, os jornais não darem trégua pra copa do mundo. São eles que nos mantém atualizados. Copa não é só sinônimo de entretenimento, lazer, mas também sinônimo de cultura e politização. Um evento em que reúne diferentes nações, uma diversidade de povos em busca do mesmo objetivo, ser campeão mundial de futebol, e ao mesmo tempo, mostrar para o mundo inteiro o seu potencial.


Todavia, tem início a fase do mata-mata.


Quem perder não tem perdão e dá adeus a copa do mundo.


Os jogos, a partir de agora, são decididos no detalhe, num toque de espíritos de finura e de geometria como diria o filósofo Blaise Pascal. Os trogloditas que tomem cuidado e amenizem um pouco mais a força física. Procurem jogar futebol com finura em busca do gol. Queremos ver as redes balançarem mais nesta copa.


O primeiro jogo das oitavas é disputado entre Uruguai, a surpresinha da copa e Coreia do Sul, a equipe extremamente veloz.


De repente ouço um grito quase sumindo de gol. Olhei para o relógio e dei-me conta de que já passou a hora de iniciar o primeiro jogo do dia. Vixe! Que é isso? Mal começa a partida e a celeste uruguaia acaba de fazer um gol. Vai ser uma goleada, disse comigo em meus pensamentos. Ora, no início do segundo tempo, parece que andaram subestimando os coreanos e, não demorou muito, empataram o jogo. Mas, com atacantes de maior qualidade em campo, o Uruguai faz outro gol e vence a partida por 2 a 1. Resultado que podia ser diferente se os sul-coreanos não tivessem perdido inúmeras oportunidades de virar o jogo. Mas valeu o esforço da Coreia do Sul que vai pra casa satisfeita pelo ótimo desempenho nesta copa, saindo apenas nas oitavas.


EUA e Gana foi um jogo bastante corrido, dramático e surpreendente do início ao fim. Quem diria que logo no início do jogo o atacante ganês pegaria a bola na entrada da área e chutava no canto direito do goleiro norte-americano sem chances de qualquer defesa. Rapidinho Gana surpreende a todos e aos EUA que não conseguem fazer nada durante o resto do primeiro tempo e boa parte do segundo. Mas conseguem milagrosamente, num gol sem graça, empatar a partida. Daí pra frente o jogo fica lá e cá, muito bom de se ver. A tensão de saber quem fica realmente com a vaga nas quartas só tem fim na prorrogação com um gol de pura raça e resistência física do atacante de Gana. Ali, naquele instante do gol, tive a certeza de que Gana ficaria com a vaga. Era apenas uma questão de tempo.


No final, a felicidade tomou conta dos ganeses espalhados em todo o estádio que balançavam as suas bandeiras e gritavam o nome de seu país. GANA, GANA, GANA, GANA, GANA...


Salve Gana, a sobrevivente da África continua vivível na competição!


Professor Jackislandy Meira de Medeiros Silva
www.umasreflexoes.blogspot.com
www.chegadootempo.blogspot.com
www.twitter.com/filoflorania

sábado, 26 de junho de 2010

Sexta-feira, 25 de junho. 15º dia da Copa...


Até mesmo C. Drummond de Andrade, que não era ligado às artes de jogar, deixou-se embalar pela euforia da Copa de 70: “Hoje, porém, acordo, e eis que me estranho: Que é de meu coração? Está no México”. Contextualizando o sentimento de Drummond, diria eu: “Que é de meu coração? Está na África”.

Terminei de preencher completamente a primeira fase da minha tabela da Copa. E olhando de relance os resultados bonitinhos já afixados na tabela, salta aos olhos da gente a satisfação do dever cumprido. Muitas seleções, do grupo A ao grupo H, deram o próprio sangue para estarem com a vaga garantida nas oitavas. Algumas nem tanto, saíram cedo da copa e ficaram devendo. Nem tudo é perfeito. É assim também com o futebol.

Quem assistiu ao jogo Brasil e Portugal percebeu que faltou inspiração porque não jogaram Robinho, Kaká e Elano. Robinho e Elano machucados, Kaká suspenso devido a uma expulsão no último jogo desfalcaram a Seleção brasileira que proporcionou a Portugal um empate sem gols e uma partida sem empolgação, trazendo soninho ao telespectador.

Jogaram pelo resultado, com o regulamento debaixo dos braços. Já classificadas, Brasil e Portugal empatadas só tinham que aguardar os jogos do grupo vizinho pra saber com quem iam jogar nas oitavas.

Como diria Galvão Bueno: Para o Brasil, que venha o Chile! Para Portugal, que venha a Espanha!

O jogo sem gols é um fado. Traz sono e descaso. Um certo relaxamento. Sem gols, no futebol, não há vitória, não há comemoração, celebração. No Brasil, não há samba. O gol é necessário! Balancem as redes, meninos!

Segundo João Cabral de Melo Neto, “o desábito de vencer não cria o calo da vitória”, diz o poeta. Mas o gosto de cada jogo ganho é muito bem guardado, sem mofo: “coisa fresca, pele sensível, núbil, nova, ácida à língua qual cajá, salto do sol no cais da Aurora.”

Pois é... Sem gols, só nos resta o sabor de alguns versos sob o título de AMIGA É A BOLA.

Cara amiga é a bola

Empresta ao jogador a honra da vitória.

A África do Sul passará para a história

Como sede da copa 2010

Por celebrar a bola e não a vitória.

Quem disse que só as vencedoras merecem comemorar?

Sem a bola não haveria vencedoras.

Parabéns África pela festa. Salve a África por criar a bola.

A “jabulani” vencedora!

Às conquistadoras da “jabulani”, boas vindas à fase do mata-mata. Como no futebol nem sempre a melhor vence, que vença aquela que mais vontade tenha de dominar a “jabulani”. E para não faltar uma pitada de Filosofia, segundo Nietzsche, vencerá aquela que depositar mais vontade de poder sobre a “jabulani”, sobre a bola.


Professor Jackislandy Meira de Medeiros Silva

www.umasreflexoes.blogspot.com

www.chegadootempo.blogspot.com

www.twitter.com/filoflorania

Atividade no Facebook

Mais vistas: